Diretora diz que vai ter “briga por lotes de gás” no Piauí

Pesquisa recebeu investimento de R$ 90 mi e analisou 22 mil metros quadrados no Estado


08/09/2011 - 14:06 - Da Redação

“Vai ter briga por lotes de exploração de gás no Piauí”, afirmou a diretora da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, durante audiência com o governador Wilson Martins, na manhã desta quinta-feira (8), no Rio de Janeiro, que contou ainda com a presença do também diretor da ANP, Allan Kardec. Tamanha empolgação tem motivo: os ótimos resultados do estudo sísmico e geoquímico realizados na região sul do Piauí, divulgados durante a audiência, comprovando o excelente potencial do Estado para produção de gás natural.

O Piauí foi o primeiro estado brasileiro a receber esse estudo mais aprofundado, e o único a receber o estudo císmico, que teve investimento da ordem de R$ 90 milhões e analisou 22 mil metros quadrados na Bacia do Parnaíba. Os resultados animadores valorizaram o valor do lote para exploração de gás no Estado e vieram demonstrar a necessidade da realização do leilão o mais rápido possível. Nesse primeiro momento foram definidos 13 lotes que serão disponibilizados para leilão e cada investidor terá a obrigação de perfurar ao menos um poço em sua área.

“Fico muito satisfeito com esses resultados e já me comprometi com a ANP em acelerar, junto à presidenta Dilma, o processo de liberação para realização do leilão. No próximo dia 15, teremos um encontro durante a reunião dos governadores do Nordeste e essa, sem dúvida, será uma das minhas solicitações prioritárias”, afirmou Wilson Martins. Paralelamente ao leilão de lotes serão perfurados dois poços estratigráficos nas proximidades de Floriano, que terão investimento da ordem de R$ 200 milhões.

Diante do saldo positivo do estudo, realizado na região Sul do Estado, Wilson Martins já solicitou a realização de um estudo também na região Centro-Norte do Piauí, pedido que já foi previamente autorizado pelos diretores da Agência.

Além da comprovação do potencial piauiense, as pesquisas esclareceram também detalhes até então desconhecidos, como a profundidade da Bacia do Parnaíba, que se revelou dois quilômetros mais profunda do que a extensão anteriormente conhecida, representando um potencial de exploração acima dos cinco mil metros cúbicos. “É com muita satisfação que encaramos essa animadora descoberta para o Piauí e para o país, e já são muitas as empresas interessadas em explorar gás na região”, ressaltou Magda Chambriard, destacando ainda a importância desse resultado para a descentralização do movimento exploratório no país, notadamente mais frequente na região Sul/Sudeste.

Dentre as grandes petrolíferas interessadas, destaque para a OGX, do empresário Eike Batista, que não abre mão de participar do leilão dos blocos no território piauiense. A disputa é só o começo de uma profunda mudança econômica que o Estado começa a vislumbrar.

  • Matérias Relacionadas:

Deixe seu comentário