Palmeiras terá R$ 26 mil de novo patrocinador

A Fiat, ex-patrocinadora, voltará a estampar sua marca no peito


02/06/2010 - 9:09 - Folha Online

O Palmeiras encara o Flamengo, nesta quarta-feira, no Pacaembu, de uniforme “limpo”. Na terça-feira, o clube anunciou a rescisão do contrato com a Samsung, que iria até janeiro de 2012.

A Fiat, ex-patrocinadora, voltará a estampar sua marca no peito e nas costas da camisa.

“O acordo com a Fiat será de um ano e meio, por R$ 26 milhões”, disse o presidente do clube, Luiz Gonzaga Belluzzo. Da Samsung, o Palmeiras recebia R$ 14,7 milhões líquidos por ano.

Fora o impacto direto nas receitas, o clube poderá negociar os demais espaços do uniforme, como as mangas, com outros investidores.

A TIM, por exemplo, deverá pagar cerca de R$ 1,4 milhão para colocar seu logo no interior do número localizada na parte de trás da camisa.

A Samsung detinha exclusividade sobre o uniforme. Em razão disso, o Palmeiras –que concordara com essa condição– perdeu alguns negócios, como uma parceria com a Cosan, do setor sucroalcooleiro, para o calção.

Foi por conta desse tipo de entrave que a Unimed passou a aparecer na roupa do então técnico Muricy Ramalho e em mídias alternativas, como no carrinho da maca do Parque Antarctica, contrato que rende R$ 1,1 milhão por ano para o Palmeiras.

“Precisamos buscar novas fontes de arrecadação”, disse Belluzzo, que tenta, assim, equilibrar as contas do clube.

Apesar de celebrar as cifras do patrocínio com a montadora, Belluzzo falou que o vínculo com a Samsung continua “sub judice”.

Quando já se comentava nos bastidores a respeito do retorno da Fiat para o Parque Antarctica, a Samsung obteve liminar na Justiça que obrigaria o clube a arcar com R$ 20 mil para cada dia de descumprimento do acordo.

O jurídico palmeirense derrubou a liminar, mas a situação ainda não foi resolvida.

“Provavelmente depositaremos o valor da multa, mas será o juiz quem vai determinar quando teremos de fazê-lo”, afirmou Belluzzo.

Segundo o dirigente, a punição corresponde a 15% do valor total do contrato, ou seja, quase R$ 7 milhões. Porém o mandatário entende que, como já se passou metade do tempo do vínculo, os cartolas quitaram valor proporcional, ou R$ 3,5 milhões.

Via assessoria, a Samsung afirmou que o término do patrocínio aconteceu “por decisão unilateral da entidade”, referindo-se ao Palmeiras.

  • Matérias Relacionadas:

Deixe seu comentário